When everything is lonely I can be my own best friend…

Leave a comment

“(…) And I know you have a heavy heart, I can feel it when we kiss
So many men stronger than me have thrown their backs out trying to lift it
But me I’m not a gamble, you can count on me to split
The love I sell you in the evening by the morning won’t exist

I got a flask inside my pocket, we can share it on the train
And if you promise to stay conscious I will try and do the same
We might die from medication, but we sure killed all the pain
But what was normal in the evening by the morning seems insane

And I’m not sure what the trouble was that started all of this
The reasons all have run away, but the feeling never did
It’s not something I would recommend, but it is one way to live
Cause what is simple in the moonlight by the morning never is
It was so simple in the moonlight now it’s so complicated
It was so simple in the moonlight, so simple in the moonlight
So simple in the moonlight…”

Advertisements

Falling away with you

Leave a comment

Todos os dias eu me pergunto, logo cedo. Não que eu tenha dúvidas todos os dias, mas, ainda assim: eu me pergunto. Sobre o resto deles, sabe. Sobre todos os dias a partir de hoje. Mas eu anseio tanto por uma resposta positiva que as vezes nem to pronta pra saber de verdade, e é que agora tá tão bom assim que eu tenho medo de que mude.
As vezes meu peito infla de ternura, e é como se todo o ar do mundo não fosse capaz de encher meus pulmões, tão ansiosos, tão impacientes por mais um sopro… E as vezes parece que eu sou você em várias partes de mim, numa doçura terna, imensa…
Talvez eu deva agradecer. Pelas palavras açucaradas? Pelos suspiros distantes? Pela saudade, que dói mais que rubéola em gente grande? Ou, talvez, pelo mundo dentro de mim. Porque um mundo de coisas é tão difícil de construir, requer tempo, paciencia, persistência; e eu não lembro de ter te visto hesitar nem por um segundo sequer… Porque, pouco a pouco, todos os balões de vazio dentro de mim foram sumindo, e eu bem me lembro de um tempo em que costumava esperar o dia todo por formas de fazê-los estourar.
Então talvez eu deva parar de me perguntar todos os dias, logo cedo. Porque ainda há tanto trabalho a ser feito, há tantas arestas pra aparar, e nós temos tão pouco tempo….
(I think our lives had just begun)

Dia nebuloso de evolução sombria

Leave a comment

Às vezes o mundo é um lugar tão sombrio pra se viver! Às vezes os dias são uma semana toda… Como se cada um deles se multiplicasse – e como são sombrios!
Às vezes me engano e me perco nos meus enganos… Às vezes até parece que nem tem mais jeito! Como se de repente não houvesse uma saída, sabe? Como se de repente um sopro derrubasse tudo. Um sopro! Tão leve, e com um poder destrutivo tão grande. Quase como um sarcoma, desses que destrói tudo que aparece pela frente. E ai de quem ousar aparecer pela frente, né…?!
Às vezes parece que cada pedaço de mim ferve, e arde. Às vezes… Às vezes aparece um soluço tão doloroso no meu peito! Eu nem sei. Mas é tão ruim! E o prognóstico: péssimo – e se nunca mais sumir?!
Algumas vezes eu queria ser um passarinho. Um passarinho, pequenininho, e poder voar pra longe, tão longe… Como se de nada mais importasse…

Leave a comment


I need your lovin’ like the sunshine…
everybody’s gotta learn sometimes…

Leave a comment


How happy is the blameless vestal’s lot!
The world forgetting, by the world forgot.
Eternal sunshine of the spotless mind!
Each pray’r accepted, and each wish resign’d …

…muito mais e melhor que você

Leave a comment

O tempo é pouco, tão pouco. Tão pouco para tanto! Eu te miro e logo desmiro – foco, vigília, mas hipotenacidade. Minha? Talvez. Possível, bem possível. Sua? Com certeza! Sabe, a fé era muita – talvez por isso nos erramos.
Tenho me flagrado com saudade do que já foi. Outros ares, outras vezes. Tenho me flagrado fazendo comparações – logo eu que sempre fui contra comparações! Mas é que é inevitável: tinha tanta coisa acontecendo! Antes, eu quero dizer. Já senti tanto! – tanto que me arrepiava, dos pés à cabeça. Eu não tinha medo de dizer nada… Aliás, precisava dizer o tempo todo. Agora meço palavras, para não ser vítima delas. Eu queria aquela alma de volta… Pra me fazer feliz de novo.
Mas, sabe, o tempo é tão pouco. Tão pouco que se fosse pra ser, já seria.

Everything in the right place

Leave a comment

Meu Deus, eu não sou muito forte, não tenho muito além de uma certa fé. Preciso agora da Tua mão sobre minha cabeça. Que eu não perca a capacidade de amar, de ver e de sentir. Que eu continue sempre alerta. Que eu possa, se necessário, ter novamente o impulso do vôo no momento certo. Que eu não me perca, que eu não me fira, que não me firam e que eu não fira ninguém. Me livra dos poços e dos becos de mim, Senhor. Que meus olhos possam continuar se alargando sempre…

Older Entries